Edição do dia
Seg, 06/11/2017 | Atualizado em: 06/11/2017 às 05h00

Dentes e coração saudáveis!

da redação
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Escovar bem os dentes ao acordar e logo após as refeições é extremamente importante, pois, além de ajudar a prevenir mau hálito, gengivite, placas bacterianas e cáries, evita também complicações cardíacas. Mas qual é a relação entre a saúde bucal e as doenças do coração?

Na boca vivem milhões de bactérias. Em apenas 1ml de saliva há mais de 150 milhões delas, que podem cair na corrente sanguínea. Se no percurso elas encontrarem tecidos do revestimento interno do coração (miocárdio) danificados ou válvulas cardíacas anormais, podem se multiplicar livremente, causando uma infecção chamada endocardite. No Brasil, anualmente são diagnosticados cerca de 150 mil novos casos da doença, que acomete duas vezes mais homens do que mulheres. Destes, cerca de um quarto dos casos acontece entre pessoas com mais de 60 anos. E o principal grupo de risco são pacientes com cardiopatia congênita e os portadores de lesões valvares.

Ao apresentar os primeiros sinais, e considerando a gravidade da doença, o paciente precisa ser internado para iniciar o tratamento, feito à base de antibióticos. "Dor torácica, perda de peso repentina, sangue na urina, febre persistente, fraqueza, frequência cardíaca oscilando entre moderada e acelerada, suor noturno e tosse constante são sintomas clássicos da endocardite que, em 40% dos casos têm origem bucal", elenca a cirurgiã-dentista Valéria Souza, do HCor – Hospital do Coração.