Edição do dia
Sáb, 04/11/2017 | Atualizado em: 04/11/2017 às 05h00

Vaquinha virtual para ajudar o Ilê

Yuri Silva
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Em dificuldades até para colocar seus associados na rua no Carnaval de 2018, o Ilê Aiyê, bloco afro mais conhecido da Bahia, está arrecadando doações por meio do Kickante, plataforma digital onde projetos sociais podem promover crowdfunding (vaquinhas virtuais) em nome de causas consideradas relevantes.

O objetivo da campanha, chamada de 'Sou Ilê o ano inteiro', é ajudar no pagamento de despesas relacionadas à Escola Mãe Hilda, que precisou reduzir o número de alunos recentemente, e à Band'Erê, projeto da agremiação que forma jovens em música e está parado desde o ano passado. Com o hiato no funcionamento da Band'Erê, conta Vovô, funcionários tiveram que ser demitidos e, por isso, o bloco amarga processos trabalhistas na Justiça.

O patrocínio da Petrobras já não existe desde 2015. "O que queremos é retomar nossos projetos no ano que vem", almeja o ancião. Eles estimam arrecadar R$ 30 mil na campanha digital. "Estamos tendo dificuldades com o Carnaval, mas vamos sair ano que vem. Não tem risco, vamos por na rua. Mas não está sendo fácil mesmo", lamentou.