Edição do dia
Sex, 03/11/2017 | Atualizado em: 03/11/2017 às 05h00

R$ 61 mil Luislinda desiste de megasalário

Estadão conteúdo
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois voltou atrás do pedido que tinha feito para que o governo federal pagasse o salário integral da atual função. O acúmulo deste vencimento com a aposentadoria de desembargadora da Bahia que ela já recebe somaria R$ 61 mil, valor superior ao teto do funcionalismo, que é de R$ 33,7 mil.

Quando solicitou o complemento do salário, Luislinda argumentou que trabalhar sem receber o valor devido pela atividade realizada "se assemelha a trabalho escravo". Como nenhum servidor pode receber mais do que um ministro do Supremo, a baiana tem mais de R$ 27 mil descontado do salário de ministra, recebendo pouco mais de R$ 3 mil para exercer o cargo.

Após a repercussão do seu pedido, o Ministério divulgou nota informando que a ministra protocolou requerimento de desistência da solicitação.

Em entrevista para à Rádio Gaúcha, concedida na manhã desta quinta, 2, antes da desistência ser divulgada, Luislinda argumentou que não errou ao citar a escravidão. "É algum pecado se fazer alguma analogia? Eu acho que eu não pequei. Eu acho que eu não errei. Por favor, não me crucifiquem só por isso", justificou.