Edição do dia
Qui, 02/11/2017 | Atualizado em: 02/11/2017 às 17h28

Coágulo é coisa séria!

Camila de jesus*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

"Após dias passando mal e percorrendo várias emergências os médicos não identificaram nada. Voltei pra casa e tossi uma bola de sangue, o que me levou novamente ao hospital. Com o resultados dos exames, a médica verificou que eu tive uma embolia pulmonar, causada pela trombose", conta Vânia Souza, de 40 anos.

Dr. Maurício Aquino, coordenador do departamento de angiologia do Hospital Santa Izabel explica o problema enfrentado por Vânia. "A embolia ocorre quando um coágulo arterial ou venoso, formado pela trombose, entra na corrente sanguínea e atinge outros órgãos, no caso dela, o pulmão", explica.

Segundo o especialista, a circulação mais lenta do que o normal, um trauma no vaso sanguíneo e trombofilias - alterações genéticas hereditárias - contribuem para o surgimento da doença.

Os principais sintomas apontados por Dr. Maurício são dores e inchaço local. "A trombose venosa é mais comum nos membros inferiores, da região da virilha para baixo e, geralmente ocorre em apenas um dos membros, ou seja, de forma assimétrica", avisa.

O angiologista esclarece que a doença não surge aos poucos e sim de forma súbita e aguda. "A partir do momento que a pessoa percebe que há algo errado, o ideal é buscar ajuda médica o mais rápido possível, pois o diagnóstico precoce auxilia no tratamento e previne, principalmente o surgimento da embolia pulmonar", orienta.

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver