Edição do dia
Sáb, 21/10/2017 | Atualizado em: 21/10/2017 às 05h00

Lava Jato Sérgio Cabral já pode pedir música

Das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O ex-governador Sérgio Cabral foi condenado ontem pela terceira vez na Lava Jato. Agora, o juiz Marcelo Bretas, responsável pela operação no Rio, decretou 13 anos de reclusão, em regime fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro, no âmbito da Operação Mascate.

Somadas as três sen tenças, Cabral tem 72 anos de prisão para cumprir, se as penas forem mantidas em outras instâncias.

O ex-governador está preso desde novembro do ano passado e foi alvo de duras críticas do juiz Bretas na sentença. "Como agente político, desviou-se de suas nobres atribuições conferidas por voto popular para se dedicar a práticas delituosas reiteradas por anos, beneficiando-se do dinheiro público desviado e branqueado por sua organização criminosa, revelando dolo intenso no seu agir", escreveu o magistrado. Também foram condenados os operadores de Cabral, Ary Ferreira da Costa Filho, a 9 anos e 4 meses de prisão, e Carlos Miranda, a 12 anos de prisão.