Edição do dia
Ter, 17/10/2017 | Atualizado em: 17/10/2017 às 09h57

Vítimas de taradão não param de aparecer

Estadão Conteúdo
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Menos de uma semana após a prisão de Adson Muniz dos Santos, 35 anos, que usava disfarces para atacar mulheres na região do Jardins, zona sul da capital paulista, ao menos 21 vítimas procuraram a delegacia para prestar queixas contra o suspeito. Ele é acusado de roubo, estupro, estelionato e falsidade ideológica. Ontem, Santos alegou problemas mentais e pediu tratamento.

Pelo menos 12 vítimas foram ontem à 1ª Delegacia de Defesa da Mulher para prestar depoimento e fazer o reconhecimento formal do agressor. A reportagem apurou que a delegacia recebeu ligações de vítimas de Salvador, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Campinas. Muniz, diz a Polícia Civil, agia há pelo menos cinco anos.