Edição do dia
Ter, 17/10/2017 | Atualizado em: 17/10/2017 às 09h57

Maldade Mãe e filha são executadas a tiros

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

As mortes da faxineira Adriana Nogueira Venas, 41 anos, e da filha dela, Laiana Venas Silva, 18, foram motivadas por vingança, segundo afirmou a delegada Elaine Laranjeira, titular da 27ª Delegacia (Itinga).

Mãe e filha foram executadas a tiros dentro da casa de número 52, da Rua Milton Coelho, no Parque São Paulo, em Itinga – Lauro de Freitas –, na noite do domingo (15).

Na ação, a filha caçula de Adriana, uma adolescente de 14 anos, foi baleada no tórax e em um dos braços, e uma jovem de 16 foi atingida com um tiro no braço esquerdo. Elas foram levadas ao Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador. Até ontem, a garota de 14 anos seguia internada. A outra teve alta médica.

Testemunhas contaram que o crime foi praticado por seis homens encapuzados. Eles arrombaram o portão e a porta do imóvel e, em seguida, quebraram a fechadura do quarto onde as vítimas estavam.

Na hora da invasão, além de Adriana, as filhas e a jovem, a filha de Laiana, de 2 anos, estava no quarto. A garotinha não foi ferida.

"Isso é briga do tráfico, queriam pegar o irmão dela [Adriana]. Já tentaram matá-lo duas vezes, como não conseguiram, fizeram isso com elas", revelou um morador do bairro, sob anonimato.

A delegada confirmou que o irmão de Adriana, Airan Nogueira Venas, era realmente o alvo dos criminosos. "Ele tem envolvimento com a criminalidade e já respondeu por tráfico de drogas", disse a titular.