Edição do dia
Seg, 16/10/2017 | Atualizado em: 16/10/2017 às 05h00

Ba-Vi é 'Mil Grau'

Alexandre Santos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

No terreno fértil das redes sociais, a zoeira nunca tem fim quando o assunto é futebol. Memes bizarros, fotos e vídeo-montagens rolam soltos, principalmente se o time daquele amigo "rival" é derrotado. Se for de lavagem, então, a alugação via redes sociais vai até umas horas. Nesses casos, periga o celular ficar travado devido à enxurrada de arquivos.

No Facebook, uma página que vem tirando sarro geral se tornou sucesso entre os internautas. Na Série A, 19 times entraram na brincadeira - à exceção do Atlético-GO -, cuja proposta é exaltar o nome do clube seguido do lema 'Mil Grau'. O Palmeiras, por exemplo, é o campeão no número de seguidores, com mais de 580 mil inscritos somente na plataforma de Mark Zuckerberg (veja o ranking ao lado). Se somadas às assinaturas no Instagram e Twitter, são quase 1 milhão de "zoadores" alviverdes.

Entre os representantes baianos, o tricolor vence o Ba-Vi virtual, já que, na soma total, possui mais que o dobro de curtidas do Leão. Um dos administradores da página Bahia Mil Grau, o universitário João Salvador, 20 anos, conta ter criado o perfil numa ocasião não muito favorável para o Esquadrão. "A ideia da página surgiu depois daquele Ba-Vi em que o Bahia tomou 7 a 3. Me reuni com mais dois amigos. Em seguida, chamamos outros para ajudar", relembra.

No início, uma das inspirações foi o volante Feijão. "A gente costuma 'batizar' os jogadores com outros apelidos e nomes engraçados. Feijão era 'O Mito'. Ou seja, usando a ironia, o sarcasmo, vimos que, devagarinho, o negócio começou a dar resultado, as curtidas começaram a crescer, crescer", descreve o estudante de jornalismo, ponderando quem nem tudo eram flores no início. "Era bem complicado conseguir seguidor. Sem falar que as publicações não davam muito alcance", descreve.

Em 2014, na ocasião do vergonhoso desempenho que culminou na queda da dupla Ba-Vi para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, pronto: os criadores perceberam que dali em diante a página bombaria de vez. "Aí, passamos a ter motivos pra postar um monte de coisas de humor em relação àquele campanha horrível. 'Gastávamos' tanto com a desgraça do Bahia como com a do rival", detalha Salvador, que hoje divide os trabalhos no Bahia Mil Grau com mais amigos. "Cada um tem suas atribuições e horários", acrescenta o universitário.

Do lado rubro-negro, o empresário Paulo Santiago, 20, lembra que o Face da Vitória Mil Grau nasceu há cerca de 4 anos. Atualmente, ele mais três amigos são os responsáveis pelos conteúdos da página. "No início, nosso objetivo não foi tanto fazer humor, mas sim divulgar a marca do Vitória na internet. Naquela época, a gente percebeu que as páginas de humor relacionadas ao Vitória não tinham conteúdo atrativo", relata o fundador.

"A partir daí, começamos com a 'Excoderu', uma espécie de sátira de Escudero, mais conhecido como 'Escudeus'", brinca Paulo. "O objetivo da página hoje em dia é manter o humor mais descontraído", explica.

Sobre a galera que os reconhece na rua, Santiago diz que a recepção é a melhor possível. " É muito boa, muitos reconhecem. Tem gente que chega a imitar a narração 'mil grau'", diz o empresário.