Edição do dia
Sex, 13/10/2017 | Atualizado em: 13/10/2017 às 05h01

Família na luta contra a balança

Camila de Jesus*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A Organização Mundial de Saúde aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso e mais de 700 milhões, obesos. No Brasil, alguns levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso.

Mas se depender de algumas famílias, como a de Vilma Fernandes, esses dados vão mudar. Ela e a mãe, Jaguaciara Cardoso, buscaram o 'Vigilantes do Peso' ao perceber que as duas perdiam e ganhavam peso juntas. "Minha mãe chegou a pesar 80 kg, demais para sua altura de 1,55 cm. Não éramos obesas, mas como eu também estava acima do peso, entramos juntas nessa", contou.

Segundo drº. Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abrana), o envolvimento de familiares é fundamental no processo de emagrecimento. "A melhor maneira de ajudar o obeso é levar para dentro de casa uma rotina mais saudável, em que todos da família estejam dispostos a ter uma alimentação mais balanceada", defende.

O especialista chama a atenção para o exemplo, principalmente para as crianças. "Os pais não podem tomar refrigerante e exigir que os filhos tomem suco", orienta.

No caso de Vilma, há uma troca de bons exemplos entre ela e a mãe. "Vou à academia, minha mãe caminha todos os dias e estamos sempre de olho na alimentação", garantiu.

No box ao lado, o especialista Durval Filho dá várias dicas para que o trabalho em família dê um nocaute na obesidade. Mãos à obra!

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.