Edição do dia
Sáb, 07/10/2017 | Atualizado em: 07/10/2017 às 05h00

Tensão Ciúme quase dá tragédia

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Após cinco horas de intensa negociação, policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) impediram que a dona de casa Cleidiane Paixão se matasse, na tarde de ontem, na Rua Rosalvo Barbosa Romeu, no Jardim Cruzeiro. Horas antes, ela já havia atirado contra o marido, um PM de prenome Elói, durante uma discussão. Ele não foi ferido e conseguiu fugir.

Conforme um vizinho do casal, o crime foi motivado por ciúmes, depois dela descobrir, no celular do rapaz, mensagens amorosas de outra mulher.

Segundo populares, quando atirou no esposo, Cleidiane estava com a filha do casal, de 6 meses, no colo. "Eles estavam brigando dentro de casa, aí ele desceu correndo e ela veio atrás com a filha. Ouvi ele dizendo: 'Você é louca, você é louca!' Aí ela atirou e disse: 'Fiz tudo por ele, eu fiz tudo por ele'", lembrou uma moradora da rua.

Conforme ela, após atirar, a mulher voltou para casa com a bebê e ameaçou dar um tiro na própria cabeça, caso alguém se aproximasse. Momentos depois, ela foi convencida por um familiar a entregar a criança.