Edição do dia
Sáb, 07/10/2017 | Atualizado em: 07/10/2017 às 05h00

Ajuda aos hermanos

Estadão Conteúdo
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

As equilibradas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, chegam à última rodada, na próxima terça-feira, com seis seleções na busca por três vagas diretas e uma participação na repescagem. Neste contexto de indefinição, o fiel da balança pode ser o já classificado Brasil, que recebe o Chile no Allianz Parque e pode, além de tirar o adversário do Mundial, ajudar a Argentina.

A única seleção do continente já classificada para a Copa pretende ficar alheia à polêmica. O Brasil tem se cobrado para, mesmo com o passaporte preparado, manter o nível de desempenho e continuar com vitórias convincentes.

"A motivação nossa é maior ainda por ser o último jogo em casa. É uma forma de agradecer à torcida por tudo o que fizeram. Nós não gostamos de perder, ainda mais em casa. Então pode ter certeza de que vamos dar 100% no jogo contra o Chile", avisou o atacante Neymar.

O Chile é o terceiro colocado das Eliminatórias, com 26 pontos, e em caso de derrota no Allianz Parque pode ser ultrapassado por Argentina, Paraguai e pelo vencedor do confronto direto entre Colômbia e Peru, em Lima. Com a equipe de Messi em sexto lugar e tendo o Equador pela frente, em Quito, uma vitória brasileira seria fundamental para ajudar tirar a seleção vizinha do sufoco vivido atualmente, sendo que a Argentina hoje ocupa uma posição que não garante nem a repescagem.

A Seleção Brasileira tem várias razões para se manter motivada. O primeiro é a despedida do Brasil, pois o jogo é o último em casa antes da Copa do Mundo. "Temos que fechar as Eliminatórias com chave de ouro. É preciso fazer o dever de casa. A Seleção sempre tem cobrança e temos de fazer de tudo para vencer o Chile", disse o meia Willian. A partida na Arena Palmeiras deve ter uma grande festa para marcar a partida rumo à Rússia.

O segundo motivo para o Brasil se mobilizar é a revanche. Os chilenos foram a única equipe a bater a Seleção nas Eliminatórias, ao fazerem 2 a 0 em Santiago, em outubro de 2015, na primeira rodada.