Edição do dia
Sex, 06/10/2017 | Atualizado em: 06/10/2017 às 05h00

Boca fechada pra emagrecer

Camila de Jesus*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

As atrizes Deborah Secco e Sabrina Sato já passaram 14 e 23 horas, respectivamente, sem se alimentar. A primeira para perder os "quilinhos" adquiridos na gravidez da primeira filha, e a segunda para estar em forma no Carnaval.

A perda dos quilos foi possível através do método do 'jejum intermitente', que se tornou uma febre entre as famosas brasileiras. De acordo com a nutricionista Ludmila Tripodi, o 'jejum intermitente' não é considerado uma dieta, pois se trata de um 'protocolo' que é adotado para melhorar aspectos como emagrecimento.

"Ela pode ser feita uma vez por semana, ou seja, 24 horas de jejum, combinado com outros dias alimentados. Pode ser feita diariamente, a cada 16 horas, com a janela alimentar de 8 horas, ou seja, a pessoa para de comer às 22h e voltar a se alimentar às 12h do dia seguinte".

A especialista revela que entre os benefícios estão a redução da pressão arterial, redução de peso por aumentar a oxidação da gordura corporal, melhora de artrite, auxilia no metabolismo de glicose e na hiperglicemia. "Hipoglicemia, sonolência, cansaço e indisposição estão entre os efeitos colaterais que podem ocorrer".

A nutricionista frisa que, posteriormente, esses efeitos somem, no entanto, existem pessoas que se dão muito bem com a dieta, enquanto outras nem tanto – depende de cada organismo.

Ludmila explica que, diferente das outras dietas, no 'jejum intermitente' não existe um padrão alimentar específico. "O jejum é sem alimentação, o que ocorre é que o cardápio estará relacionado com o objetivo do paciente, junto com a taxa de energia necessária para o dia", explica.

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.