Edição do dia
Qui, 05/10/2017 | Atualizado em: 05/10/2017 às 13h39

Carpé chega para salvar o Baêa da degola

Daniel Dórea
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O poder sedutor da juventude. No Brasil e no mundo, está mais do que na moda apostar em técnicos de uma dita 'nova geração'.

O Corinthians lidera a Série A com o estreante Fábio Carille, 44. O Bahia tentou ir na onda dois meses atrás, mas, após nove jogos, demitiu Preto Casagrande, 42.

A sabedoria dos mais experientes. Ainda há quem acredite nela. Um exemplo, por ironia, é o mesmo Bahia, que ontem definiu como substituto de Preto Paulo César Carpegiani para tentar salvar a equipe do rebaixamento nas últimas 12 rodadas.

Aos 68 anos, Carpé passa a ser o treinador mais velho em atividade nesta edição do campeonato. Ele também é aquele que exerce a função há mais tempo. Logo após se aposentar no Flamengo de uma admirável carreira como jogador, iniciou no mesmo Fla, em 1981, uma igualmente gloriosa trajetória como técnico – sendo campeão mundial (81) e brasileiro (82) à frente do Urubu.

Sua estreia será contra o Palmeiras, no próximo dia 12 (feriado), em São Paulo.