Edição do dia
Sex, 22/09/2017 | Atualizado em: 22/09/2017 às 05h00

Sujou! Funaro complica Temer de vez

das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Já está na Câmara dos Deputados a segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Temer. A decisão quase unânime do Supremo Tribunal (por 10 a 1 – apenas o ministro Gilmar Mendes votou contra) foi pelo prosseguimento da denúncia, apesar dos apelos da defesa do presidente.

A situação de Temer se complicou com o depoimento do doleiro Lúcio Funaro, apontado como operador do PMDB. Após fechar acordo de delação com a força-tarefa da Lava Jato, ele disse que Temer recebia parte da propina paga no esquema montado na Caixa Econômica que envolvia políticos do PMDB. O Planalto reagiu: "É uma mentira absoluta. O presidente contesta de forma categórica qualquer envolvimento de seu nome em negócios escusos".

Funaro também disse que que o advogado José Yunes, amigo e ex-assessor de Temer, investia em imóveis para 'lavar' a propina supostamente recebida pelo peemedebista. O presidente e Yunes negam.