Edição do dia
Sex, 08/09/2017 | Atualizado em: 08/09/2017 às 05h00

Vacinar é proteger

Cleane Lima*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta: o movimento antivacinação cresce ao redor do mundo e tem feito com que doenças erradicadas reapareçam. No Brasil, a porcentagem de imunização através das vacinas tem caído gradativamente.

"O movimento contribui para o ressurgimento da rubéola, do sarampo, caxumba e até da poliomielite, a paralisia infantil", alerta a pediatra Aranda Haber.

A especialista explica que as vacinas são o meio mais eficaz de proteção contra certas doenças infecciosas. "Elas estimulam o sistema imunológico a produzir anticorpos para combater essas enfermidades. É muito melhor - e mais fácil - prevenir do que tratar. É isso que as vacinas fazem", defende.

Ao não vacinar seus filhos, os pais colocam a vida das suas crianças e de outras em risco. Ou seja, sofre toda a sociedade. Então, não vacile!

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.