Edição do dia
Seg, 04/09/2017 | Atualizado em: 04/09/2017 às 05h00

Sem ânimo para cuidar de si mesmo

Camila de jesus*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Pessoas que sofrem depressão não tem apenas o psicológico afetado. O corpo também sofre as consequências, especialmente no que diz respeito à higiene pessoal, incluindo a da boca.

De acordo com a psicóloga Juliana Calixto, do Núcleo de Terapia Integrada Jordan Campos, portadores de transtornos mentais negligenciam o asseio "por não conseguirem cuidar de si próprios".

A dentista Priscila Carvalho afirma que as consequências vão muito além de problemas com os dentes. "Entre os mais comuns estão o ressecamento na boca, alterações na saliva, ardor e até gengivite", diz.

A especialista acrescenta que o uso de medicamentos específicos para o tratamento psíquico também interferem na saúde bucal. Esses remédios podem provocar sensibilização da gengiva, o que favorece o surgimento de gengivite e periodontite, além de alterações no fluxo e composição da saliva, segundo Dra. Priscila.

"A baixa produção de saliva interfere na recomposição de minerais nos dentes, como o flúor, presente no fluido. Além disso, ela tem papel fundamental na deglutição dos alimentos", frisa.

Para evitar tantos perrengues, a psicóloga destaca o papel da família. "Parentes mais próximos devem auxiliá-los na higiene e buscar ajuda profissional para atendimento psicoterapêutico", opina. "Ao longo do tratamento, mesmo que de forma gradual, o paciente voltará a investir em si mesmo e nos cuidados com seu corpo ", finaliza Juliana.

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.