Edição do dia
Qui, 31/08/2017 | Atualizado em: 31/08/2017 às 05h00

Coração sofre com ansiedade

Cleane Lima*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

cleane.lima@jornalmassa.com.r

É normal sentir ansiedade, mas nada em excesso é saudável. A psicóloga Sarah Lopes explica que a ansiedade é um transtorno que acontece quando o indivíduo se preocupa demais com o futuro. "A pessoa fica pensando em algo que pode vir a acontecer. É uma preocupação com o que ainda não é real", diz.

Segundo a psicóloga, a especialista, a ansiedade pode atingir três níveis. O transtorno de ansiedade generalizada é o mais comum, seguido do ataque de pânico e da fobia social. "Os dois últimos estão relacionados com um nível de ansiedade maior, cada um com suas especificidades, como sensação de morte no caso do pânico e problemas de contato social, na fobia".

Além do sofrimento psicológico, o físico também padece. Segundo o cardiologista Newton Rodrigues, a pessoa ansiosa pode desenvolver cardiopatias e vice-versa. "É uma via de mão dupla. A ansiedade pode aumentar a frequência cardíaca e levar à hipertensão ou arritmia. E quem já sofre de alguma patologia do coração pode desenvolver ansiedade", avisa.

O médico explica que quando a pessoa fica ansiosa aumenta a produção de hormônios como a cortisona e a adrenalina, que podem elevar a pressão arterial. "Essa variação hormonal pode causar problemas no coração", afirma.

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.