Edição do dia
Qua, 30/08/2017 | Atualizado em: 30/08/2017 às 05h00

Eficiência ampliada

Camila de Jesus*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Em pleno século 21 há quem diga que ser mãe é um problema para quem quer ter uma carreira profissional. A prova de que isso é balela foi apresentada em uma pesquisa realizada para a Microsoft. Nela, 57% dos empregadores entrevistados defenderam que as mães possuem melhor desempenho em equipe, 29% viram o trabalho das empregadas crescer e 35% perceberam melhora em habilidades multitarefas.

"Esperei 18 anos para ter outro filho por acreditar que não cabia em minha rotina tão corrida e vi que foi um engano", admite a professora Gisele Hohlenwerger, 37 anos.

Para a psicóloga do HapVida Sarah Lopez , a maternidade é um fator motivador. "Além da mulher precisar suprir suas necessidades, agora existe um outro ser que depende dela e isso desperta o desejo de sempre buscar o melhor", afirma.

A especialista em ferramentas de avaliação comportamental e desempenho Lélian Garrido concorda. "Evitar o medo de perder o emprego e acreditar em seu profissionalismo são fatores fundamentais para manter a estabilidade no ambiente de trabalho", orienta.

Caso você seja vítima de piadinhas dentro da empresa, devido à maternidade, o ideal é apresentar resultados. "Mostre números que comprovem seu rendimento após a chegada de seu filho", indica a psicóloga.

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.