Edição do dia
Ter, 08/08/2017 | Atualizado em: 08/08/2017 às 05h00

Inimiga Paranoia levou a assassinato

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Um suposto 'trabalho espiritual' mal sucedido foi o motivo pelo qual a autônoma Fernanda dos Santos Alves, 37 anos, tramou a morte da bacharel em direito Jumaria dos Santos Barbosa, 41, em abril último, em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana, segundo o delegado Joelson Reis, da 23ª Delegacia (Lauro de Freitas).

Ao delegado, Fernanda disse ter contratado os serviços espirituais da vítima na intenção de que o ex-marido, um empresário de São Paulo, voltasse para ela. Contudo, ao se desentender com o homem durante uma viagem, passou a desconfiar que Jumaria, que era cartomante, fez um trabalho oposto para afastá-los ainda mais.

Conforme Reis, a mulher também desconfiava que a condutora espiritual pretendia se envolver com seu ex-companheiro.

Fernanda e Jumaria se conheceram em outubro de 2016, durante uma festa de aniversário na casa de uma amiga em comum, de prenome Andréa, no bairro de Stella Maris, e desde então, passaram a conviver.

Ainda em depoimento, Fernanda contou que, um dia durante uma visita em sua casa, Jumaria entrou em seu quarto sem sua permissão, o que a fez despertar para as más intenções da mulher.

Mas só teve certeza do malfeito, quando viajou no final do ano com o ex-marido e ele disse que iria reduzir o valor da pensão dos dois filhos do casal. De acordo com o delegado, a pensão que ela recebe gira em torno dos R$ 12 mil e R$ 20 mil mensais.