Edição do dia
Sáb, 05/08/2017 | Atualizado em: 05/08/2017 às 05h00

Assassinato Pedreiro ensacou o corpo da namorada

ANDREZZA MOURA
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Horas após o corpo de Cláudia Santana Oliveira, 26 anos, ser localizado dentro de sacos de alinhagem, no banheiro da casa de número 9, da 2ª Travessa das Pedrinhas, em Itapuã - atrás do Hotel Álibi -, o namorado dela, o pedreiro Edgar Pereira Costa, 46, foi preso ontem à tarde, em Itabuna (a 435 km de Salvador).

Edgar é suspeito de matar a mulher e ocultar o cadáver. Ele morava de aluguel no imóvel e Cláudia costuma visitá-lo.

Segundo o pedreiro Edmilson Gomes, 49, Cláudia estava desaparecida desde a noite da quarta-feira (2), após ser vista com o namorado. "Foi premeditado. Ele matou ela na quarta, foi para a igreja com o pai dela ontem [quinta-feira] e hoje fugiu", comentou o vizinho.

Para ele, a morte da mulher era só questão de tempo, pois Edgar costumava espancá-la. "A vida dele era bater nela. A gente já tinha alertado ela para se separar dele, mas ela não atendeu", completou o homem.

O corpo de Cláudia foi encontrado por volta das 10h da manhã de ontem, por um dos filhos de Edgar. O rapaz conseguiu uma chave reserva para entrar na casa. O corpo já estava em estado de gigantismo e os peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) não conseguiram estabelecer o que provou a morte da mulher.

Somente após a necrópsia será possível constatar como ela morreu. Até ontem, o corpo permanecia no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues.