Edição do dia
Qui, 27/07/2017 | Atualizado em: 27/07/2017 às 05h00

"Eu acredito" Mancini cheio de amor para salvar o Leão

Juliana Lisboa
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Se depender de Vagner Mancini, que assume o Vitória pela quarta vez na carreira e foi apresentado ontem, na Toca do Leão, os triunfos estão a caminho.

"O momento não é mais de crise, é de reestruturação. Ninguém entra no campeonato ignorando que os 45 pontos são o primeiro passo [para fugir do Z-4]. Como vamos chegar a eles depende, mas estou aqui porque acredito", disse.

Atualmente, o Vitória ocupa a penúltima colocação do Brasileiro, com 12 pontos. E Mancini não descartou subir jogadores da base para reforçar o elenco. "É importante ter um time competitivo. Se for necessário que eu use atletas do sub-17 ou sub-20, eu usarei", explicou.

Mancini não comentou a polêmica sobre sua saída da Chapecoense na entrevista, mas falou sobre o assunto por meio de uma nota oficial.

"Quando fui demitido da Chapecoense, a repercussão negativa para o clube foi muito grande. Muitos se voltaram contra o clube, assim como eu, por resultados tão expressivos com um time reconstruído. Um trabalho muito responsável que exigiu total dedicação. Nunca cheguei atrasado a treinos. Estou e sempre estarei apaixonado pelo futebol", disse o treinador.

A resposta veio após dirigentes da Chape afirmarem a jornalistas que Mancini foi demitido porque estava apaixonado e não demonstrava foco no clube. Casado com uma baiana, Mancini veio morar em Salvador antes de fechar com o Rubro-Negro.

"É impossível ouvir um chamado do Vitória e não sentar para conversar", disse o treinador.