Edição do dia
Ter, 25/07/2017 | Atualizado em: 25/07/2017 às 05h00

Só porrada Baêa sofre contra os tops do Brasileirão

Tiago Lemos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

No último domingo, o Bahia sofreu sua sétima derrota no Campeonato Brasileiro. O adversário foi o Santos, terceiro colocado da competição com 30 pontos, que chegou a 3 a 0 com certa facilidade.

Coincidência ou não, todas os resultados negativos do Tricolor nesta Série A foram diante de equipes que atualmente integram o G-8.

Longe de Salvador, o Esquadrão perdeu para Corinthians (1º lugar - 3 a 0), Grêmio (2º - 1 a 0), Botafogo (7º - 1 a 0) e Vasco (8º - 2 a 1), além do Santos.

Na Fonte Nova, o time azul, vermelho e branco foi superado por Flamengo (4º lugar - 1 a 0) e Palmeiras (5º - 4 a 2).

A única exceção é o Sport, adversário deste domingo, às 4h da tarde, na Arena Fonte Nova, pela 17ª rodada.

O Leão pernambucano é o sexto colocado, com 24 pontos, e único entre os dez primeiros do Brasileirão que ainda não enfrentou o Bahia.

O Cruzeiro, na nona posição com 22 pontos, e a Ponte Preta, décima com 21, perderam para o Esquadrão por 1 a 0 (Fonte Nova) e 3 a 0 (Moisés Lucarelli), respectivamente.

As outras equipes derrotadas pelo Tricolor foram os Atléticos – 2 a 0 sobre o Galo, 13º; 6 a 2 sobre o do Paraná, que ocupa a 16ª colocação; e 3 a 0 sobre o de Goiás, lanterna da Série A .

Os resultados ruins contra as principais equipes da competição são um indício de que o Bahia deve brigar contra o rebaixamento. Após 16 rodadas, o time comandado por Jorginho é o 14º colocado, com 19 pontos.

O treinador falou sobre o objetivo do Esquadrão após o revés no Pacaembu. "Primeiro, a gente tem que realmente entender que hoje o nosso campeonato é justamente fugir o mais rápido possível da zona perigosa. Mas acho que dá para pensar um pouquinho mais, se a gente conquistar os nossos pontos em casa e fizer boas partidas fora", explicou o técnico.