Edição do dia
Qua, 10/05/2017 | Atualizado em: 10/05/2017 às 05h00

Comando rubro-negro Quem assume o boné?

Da redação
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O novo comandante do Vitória para a disputa do Campeonato Brasileiro ainda é uma incógnita, mas três nomes ganharam força, ontem, na Toca do Leão: Jorginho, Ricardo Gomes e o campeão olímpico com a Seleção Brasileira Rogério Micale.

Jorginho, ex-lateral da seleção e titular no tetra, teve boa campanha no comando do Vasco na Série B do ano passado, quando acabou na terceira colocação. Saiu do time logo após o acesso e desde então está sem clube.

Outro nome forte é o de Ricardo Gomes, que passou pelo Leão em 1999. O último time que Gomes treinou foi o São Paulo, no ano passado, quando ficou apenas três meses à frente da equipe. Antes, no mesmo ano, o treinador fazia uma boa campanha com o Botafogo.

Já Rogério Micale ganhou projeção no mundo da bola ao levar o Brasil ao primeiro ouro olímpico, num time que contava com Neymar e Gabriel Jesus. Porém, o técnico tem pouca experiência com times profissionais. As únicas foram no Figueirense, como interino em 2008, e no Grêmio Barueri, em 2011.

Jogadores como Piñeda e Pisculichi estão com o contrato próximo do fim, mas a saída dos atletas ainda não foi definida, é o que conta o gestor de futebol do Leão Sinval Vieira.

"Pineda ainda tem tempo, ainda vai jogar com a gente. O contrato dele vai até o final deste mês. A renovação dele, caso aconteça, é automática, vai depender muito do rendimento dele. Pisculichi é um grande profissional, esperamos muito dele. Ele está voltando aos poucos e acho que ele pode ser muito útil ao Vitória", diz.