Edição do dia
Ter, 09/05/2017 | Atualizado em: 09/05/2017 às 05h00

Fofocar no trampo é barril!

Débora Souza*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Ela pode até parecer inofensiva, mas a fofoca é um mal que ronda a todos, nos mais diversos ambientes e pode ser devastadora, especialmente no trabalho.

No Brasil, por incrível que pareça, 83% dos trabalhadores que participaram de uma pesquisam do portal LinkedIn sinalizaram que os boatos em excesso são responsáveis pelo que há de mais irritante no ambiente profissional, enquanto nos outros 15 países estudados esse índice é de 62%.

Esse resultado levanta uma dúvida: será que os brasileiros fofocam mais? A resposta não foi dada pelos pesquisadores, mas parece residir na forma como as empresas fazem sua comunicação.

Segundo a psicóloga especializada em RH Greice Folha, as fofocas surgem quando existe um ruído na comunicação interna, o que abre a possibilidade do famoso 'telefone sem fio'. "Além de comprometer a produtividade, a fofoca prejudica a imagem do fofoqueiro, que pode ser punido. O gestor tem de orientá-lo a mudar, dando dicas de comportamento", indica a especiaista.

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.