Edição do dia
Qui, 04/05/2017 | Atualizado em: 04/05/2017 às 05h00

Leão dá melhorada crucial

Alexandre Santos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Diante de um Vitória que entrou abalado pelo baque no Nordestão, o Bahia criou oportunidades, saiu na frente, mas não conseguiu repetir a dose em cima do Leão.

Ontem, pelo primeiro duelo da decisão do Campeonato Baiano, o rubro-negro arrancou um empate de 1 a 1 e saiu da Fonte Nova com a vantagem de disputar a finalíssima pelo empate, neste domingo, às 4h da tarde, no Barradão.

Já o tricolor terá de assegurar um triunfo por qualquer resultado para levantar a taça do Estadual. Num primeiro tempo que mais parecia uma continuação do último clássico, quando despachou o rubro-negro da competição regional, o Esquadrão dominou as ações dentro de campo. Superior, o time comandado por Guto Ferreira foi só pressão sobre o rival, perdendo uma oportunidade atrás da outra.

Aos 13 minutos de jogo, Kanu e Fernando Miguel quase entregam o ouro numa saída de bola destrambelhada. Por pouco, Zé Rafael não manda pro fundo da rede. Na sequência, Edigar Junio aproveitou novo bate-cabeça e chutou com perigo, mas a bola desviou na zaga e saiu a tiro de meta.

Após ao menos três chances claras de inaugurar o placar, o Bahia, enfim, conseguiu acertar a pontaria.

Aos 33, coube ao zagueiro Tiago fazer as vezes de atacante ao aproveitar cobrança de falta de Régis, pela direita. O camisa 3 subiu mais que a defesa adversária e cabeceou à queima-roupa, sem chance para o arqueiro rubro-negro: Bahia 1 a 0.

Na volta para a etapa final, aquele Vitória que mal chegava à meta tricolor tomou uma injeção de ânimo. E teve forças para correr atrás do prejuízo. Ainda assim, a salvação acabou na conta do Esquadrão. Aos 32 da etapa derradeira, Patric finalizou, Jean abafou e defendeu. No rebote, a bola desviou em Armero e venceu o goleiro azul, vermelho e branco.