Edição do dia
Qui, 04/05/2017 | Atualizado em: 04/05/2017 às 05h00

Reacenda a vontade

Camila de Jesus*
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O sexo é uma das atividades que mais proporciona prazer ao ser humano. Por isso, quando o desejo sexual diminui é sinal que algo não vai bem. A falta de líbido pode atingir homens e mulheres e as causas podem ser tanto fisiológicas como psicológicos.

Nas mulheres, ao contrário do que acontece no período fértil, na gravidez e na menopausa o desejo tende a ir para as cucuias! Segundo o ginecologista Pedro Paulo Bastos, trata-se de uma questão hormonal. "A baixa do desejo está relacionada à não produção de testosterona, hormônio responsável pelo aumento da líbido", explica.

O tal hormônio também é o responsável pela queda da libido masculina, o que. geralmente, acontece a partir dos 45 anos. De acordo com o urologista Roberto Rossi, a reposição hormonal é a forma ideal de tratamento. "Associada à prática de atividades físicas, torna-se mais eficaz", diz.

Entre os mais jovens, o especialista aponta o uso de drogas como principal inibidor do desejo. "Inicialmente usadas como estimulantes, com o passar do tempo causam têm efeito contrário", alerta.

Fatores psicológicos como depressão, estresse ou cansaço também podem influenciar na falta de vontade de transar. Segundo a psicóloga Juliana Calixto, quando esses fatores geram sofrimento psíquico e emocional, é hora de buscar apoio profissional, mas o autoconhecimento sempre é a chave. "Conhecer seu corpo, desejos, medos e fantasias são uma poderosa ferramenta para encontrar o equilíbrio sexual", finaliza.

* Sob a supervisão da editora-coordenadora Ana Paula Ramos.

Publicidade