Edição do dia
Sáb, 22/04/2017 | Atualizado em: 22/04/2017 às 05h00

Costureiras e sapateiros em alta

aina soledá
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Em período de dificuldade financeira, é mais vantajoso reformar roupas e sapatos do que gastar uma grana comprando uma peça nova. Segundo a costureira Enildes Freitas, 55, nos últimos meses houve um aumento na procura por reparos e produção. "Algumas pessoas me procuram para reformar peças usadas, mas a grande maioria compra tecido para que eu faça a costura", explicou Enildes, que tem um atelier na própria casa, no bairro de Jardim Santo Inácio.

A costureira associa o aumento da demanda pelos serviços à crise econômica por que passa o País e aos preços em conta que pratica. Ela diz que depende do serviço, mas geralmente cobra a partir de R$ 15. Para a divulgação do trabalho e captação de novos clientes, Enildes utiliza as redes sociais. No próprio perfil do Facebook, a costureira publica os trabalhos, que variam entre reforma, criação e produção, de acordo com a solicitação do cliente.

Já a autônoma Grace Santos, 60, tem a solução para os sapatos. Em seu estabelecimento, localizado em Simões Filho, ela cola os solados, costura e ainda realça a cor do calçado. "Aqui é sempre cheio, porque já tenho clientes fixos, que indicam meu trabalho. As pessoas gostam tanto pelo serviço quanto pelo preço justo", contou.