Edição do dia
Ter, 18/04/2017 | Atualizado em: 18/04/2017 às 05h00

Barril! Odebrecht fala da ajuda de Lula

das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O empresário Emílio Odebrecht contou ao Ministério Público detalhes das conversas que teve com o então presidente Lula para que atuasse em favor da empreiteira. Em dois episódios citados por ele, os pedidos teriam sido atendidos.

Emílio conta que, em 2007, a Petrobras decidiu comprar uma parte da Suzano Petroquímica, o que prejudicaria a Brakem, controlada pela Odebrecht. Segundo ele, a compra foi efetivada por um valor muito mais alto que o de mercado. Após conversar com Lula, "a Petrobras foi obrigada a vender parte", relatou.

Emílio deu outro exemplo, de 2005, "do empenho do ex-presidente em nos ajudar". Segundo o empresário, Lula agiu para que a Petrobras não comprasse a participação da Petroquímica Ipiranga na Copesul.

O ex-presidente nega as acusações. Por meio de nota, afirmou que o conteúdo das delações premiadas demonstra que ele não praticou nenhum crime e é inocente. A assessoria disse que ele é acusado sem provas.