Edição do dia
Sex, 14/04/2017 | Atualizado em: 14/04/2017 às 05h00

Morte a tiros Insegurança no trabalho

Euzeni Daltro
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O segurança José Pereira de Andrade, 50 anos, foi assassinado dentro do depósito da Receita Federal, na Avenida Engenheiro Oscar Pontes, no Comércio, nos primeiros minutos da madrugada de ontem. O corpo dele foi encontrado pela manhã, no estacionamento, pelo segurança que o substituiria, mas só foi removido no início da tarde – o que gerou revolta na família.

"Ele foi morto na madrugada e só acharam o corpo de manhã. Pouco antes das 14h, passou na televisão que a perícia havia acabado de chegar ao local. A gente só presta para trabalhar mesmo", afirmou, indignado, o porteiro André Andrade do Amparo, 40, sobrinho d e José.

De acordo com informações da Receita Federal, suspeita-se que o segurança morreu após ser baleado em uma troca de tiros com bandidos que invadiram o imóvel. O local é usado para guardar objetos apreendidos pelo órgão. O confronto ocorreu durante um assalto, segundo a Polícia Civil.

O caso é investigado pela Polícia Federal (PF), cuja sede fica em frente ao depósito. A delegada da PF, Juliana Regis Dourado de Santana, disse que não poderia informar sobre o caso porque ainda está investigando.

Ontem à tarde, um suspeito de envolvimento no crime foi autuado por homicídio no Hospital Geral do Estado (HGE), onde passava por cirurgia.