Edição do dia
Sex, 14/04/2017 | Atualizado em: 14/04/2017 às 05h00

Páscoa Muito além do chocolate

Euzeni Daltro
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A Páscoa é a festividade mais importante do cristianismo. Tanto é assim que não comemorá-la é considerado pecado para os cristãos, assim como não ir à missa aos domingos. "Para nós, cristãos, a Páscoa é sempre o centro da nossa fé. Tudo que celebramos gira em torno da paixão, morte e ressurreição de Jesus", afirma o padre Lázaro Muniz, pároco da Catedral Basílica. "Todos os cristãos precisam celebrar a Páscoa", enfatiza ele.

E celebrar esse período vai muito além de uma mesa farta e dos típicos ovos de chocolate. Trata-se de um momento de entrega, reflexão, união, abstinência dos prazeres do mundo e renascimento, sobretudo no que se refere ao amor ao próximo.

A celebração faz parte da Semana Santa, que tem início no Domingo de Ramos e vai até o Domingo de Páscoa. No Domingo de Ramos, os cristão celebram a entrada de Jesus em Jerusalém, ocasião que foi comemorada pelas pessoas cobrindo as estradas com folhas de palmeiras. "(Foi) o grande dia em que ele foi aclamado como rei. Depois, veio a prisão, a condenação e a morte", afirmou o pároco Lázaro Muniz.

Os rituais feitos durante os três dias que antecedem o Domingo de Páscoa compõem o Tríduo Pascoal – ou seja, a Quinta-feira Santa, a Sexta-feira da Paixão e o Sábado de Aleluia. "Durante a Vigília Pascal, no Sábado de Aleluia, o Sírio Pascal é colocado em lugar de destaque na igreja representando a luz do Cristo, que ficará acesa nos 50 dias de Páscoa. A Páscoa vai até [a festa de] Pentecostes", disse o padre Lázaro.