Edição do dia
Qui, 13/04/2017 | Atualizado em: 13/04/2017 às 05h00

torcida única Sugestão do MP é contestada

Juliana Lisboa
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Pouco tempo depois da sugestão do Ministério Público da Bahia (MP-BA) de implantar torcida única nos próximos clássicos para garantir a segurança dos torcedores, Bahia e Vitória se manifestaram contrários à medida por meio de notas oficiais.

Se por um lado o MP, através do procurador Olímpio Campinho, alega que a medida deu certo em São Paulo, onde episódios de brigas de torcidas organizadas são recorrentes, os dois times baianos sustentam que os casos de violência ficam fora do estádio.

Bahia e Vitória enalteceram a paz na torcida mista, reimplantada no último Ba-Vi, e lamentaram a morte do estudante Carlos Henrique de Deus, de 17 anos, morto a tiros na saída do jogo.

Em enquete promovida pela reportagem, a maior parte dos torcedores é contra a torcida única nos estádios: 68% acreditavam que a torcida única não solucionaria a violência nos estádios, 22% eram a favor da medida e 10% não tinham opinião formada.

De acordo com o advogado especialista em legislação esportiva e um dos autores do Estatuto do Torcedor, Carlos Eduardo Ambiel, a melhor saída é encontrar punição para os torcedores infratores sem colocar em xeque as torcidas.

"Como conceito, eu sou contrário à torcida única. Acho que não há um apreciador do futebol, torcedor ou pessoa que vivenciou jogos no estádio que não queira as duas torcidas nos jogos, a essência do futebol", disse.

Procurada, a FBF disse que só vai emitir um parecer quando for notificada oficialmente pelo MP.