Edição do dia
Qui, 13/04/2017 | Atualizado em: 13/04/2017 às 05h00

Delação Neto e Wagner estão na mira

da redação
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O prefeito ACM Neto (DEM) teria recebido caixa 2 na campanha de 2012, segundo dois delatores da Odebrecht. O valor não foi revelado. Já o secretário estadual de Desenvolvimento, Jaques Wagner (PT), teria recebido US$ 12 milhões em vantagens indevidas, de acordo com seis executivos da empresa. Os dois são alvos de petições assinadas por Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, encaminhando para a Justiça Federal na Bahia os casos de políticos que aparecem nas delações, mas não têm foro privilegiado. Wagner disse que não há como que não há como se pensar em favorecimento da Odebrecht quando foi governador. Neto afirmou estar " absolutamente tranquilo" e que aguarda a revelação do conteúdo das delações para se posicionar.

Publicidade