Edição do dia
Qua, 12/04/2017 | Atualizado em: 12/04/2017 às 05h00

Aliviou Transição pode ser flexibilizada

das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O relator da reforma da Previdência Social, deputado Arthur Maia (PPS-BA), disse que faz alterações para flexibilizar a regra de transição. Na proposta original do governo, homens a partir de 50 anos e mulheres com ao menos 45 teriam de pagar um 'pedágio' de 50% sobre o tempo de contribuição para obter o benefício.

Maia adiantou que o texto final da reforma vai prever idades mínimas progressivas para solicitação de aposentadoria diferenciadas. Essa idade mínima deve começar em 52 ou 53 anos ( mulheres) e em 57 ou 58 (homens). O texto trará uma tabela com "períodos de vigência" das idades mínimas, que crescerão ao longo de 20 anos da transição, quando todos se aposentarão com 65 anos. Continuará havendo 'pedágio' (leia ao lado) e regras especiais para professores, policiais e trabalhadores rurais.

Na outra ponta da tabela, estão os trabalhadores que hoje têm menos de 30 anos e deverão atingir idade mínima de 65 anos e ao menos 25 anos de contribuição.

Publicidade