Edição do dia
Qui, 06/04/2017 | Atualizado em: 06/04/2017 às 05h00

Uber Prefeitura solta fogos, motôs não

Aurélio Lima
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O entendimento da Câmara Federal de definir a Uber como o serviço de transporte público atende as expectativas da Prefeitura de Salvador, mas é contestado pelo aplicativo em âmbito nacional. Em nota divulgada ontem, a empresa considera o projeto de lei aprovado pela Câmara um retrocesso no modelo de mobilidade moderna adotado em várias partes do mundo. Já a prefeitura entende que o serviço precisa ser normatizado e atender regras para funcionar.

A questão está tramitando no Tribunal de Justiça da Bahia. O serviço funciona graças a uma liminar, deferida em fevereiro, como lembrou o secretário de Mobilidade, Fábio Mota. Desde então, os órgãos públicos estão impedidos de multar ou apreender qualquer veículo que faça esse tipo de transporte em Salvador.

"O município defende que este transporte é público e tenha regras para o seu modelo", afirmou Mota, que preferiu não se estender sobre o assunto porque o projeto de lei segue para o Senado e "pode mudar tudo".

Publicidade