Edição do dia
Qua, 05/04/2017 | Atualizado em: 05/04/2017 às 05h00

E agora? Marqueteiro baiano topa fazer delação

das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O publicitário e ex-marqueteiro do PT João Santana e a mulher, Mônica Moura, fecharam acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República dentro da Operação Lava Jato.

A informação foi dada pelo vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino. Durante a sessão no Tribunal Superior Eleitoral, na qual se decidiu adiar o julgamento do pedido de cassação da chapa Dilma-Temer (leia abaixo), Dino falava sobre novos depoimentos no caso quando se referiu ao baiano Santana e a Mônica.

Ele defendeu que o casal fosse incluído na lista de depoentes, reforçando: "E digo isso diante da recentíssima notícia de que as pessoas agora nominadas celebraram acordo de colaboração premiada com a Procuradoria Geral da República. Acordo esse que se encontra submetido ao Supremo Tribunal Federal".

O acordo foi concretizado após a homologação do ministro Édson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator da Lava Jato na Corte.

Publicidade