Edição do dia
Ter, 04/04/2017 | Atualizado em: 04/04/2017 às 05h00

Terceirização: pura polêmica

alexandre santos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Em meio às discussões sobre assuntos de interesse de Salvador, o plenário da Câmara de Vereadores se tornou palco de discursos inflamados em torno projeto de lei que regulamenta a terceirização da mão de obra no País, sancioinado na última sexta-feira (31/3) pelo presidente Michel Temer. Entre os argumentos favoráveis está o de que a medida acabará com dispositivos que engessam e encarecem a contratação de empregados. Já os argumentos contrários vão na linha de que a proposta resultará na precarização do trabalho.

Para a vereadora Aladilce Souza (PCdoB), vice-líder da oposição, a terceirização significará um desmonte do Estado brasileiro."Essa proposta retira todos os direitos da classe trabalhadora. Direitos que foram conquistados com muita luta, durante séculos. O projeto permite terceirização de modo que o trabalhador tenha facilmente negados os seus direitos trabalhistas, como FGTS, férias, 13º e outros", critica.

Já o vereador Duda Sanches (DEM), vice-líder do governo, acredita que a medida flexibilizará a legislação trabalhista e ajudará a recuperar a economia. "Vivemos hoje um período adverso, em que o desemprego bate recordes, em que diariamente há milhares de pessoas em filas de empregos. Então, algumas medidas amargas devem ser tomadas", argumenta.

Publicidade