logo Jornal Massa!

Viver Bem

Qui, 11/01/2018 | Atualizado em: 11/01/2018 às 05h01

'Copinho': solução para aqueles dias

Conteúdo Camila de jesus

Camila de jesus

camila.jesus@jornalmassa.com.br

"Estava saturada do incômodo do absorvente e do OB", conta Beatriz Almeida, 19 anos, estudante que há cerca de um ano utiliza o coletor menstrual.

A jovem cita que a principal vantagem está na mobilidade do uso. "Hoje não deixo de fazer nada menstruada, seja ir à praia ou à academia", comenta.

A produtora audiovisual Guinevere Gaspari, 28, concorda e vê o uso dos coletores como uma alternativa econômica e também ecológica. "Posso reutilizar por até 10 anos e não preciso me preocupar em ter ou não absorvente em casa. Além de aumentar a produção de lixo, os absorventes convencionais demoram pra se decompor", detalha Guinevere.

De acordo com o ginecologista do Hapvida Everaldo Mascarenhas, o produto pode ser usado por qualquer mulher, desde que esta não seja virgem. "O produto é colocado na entrada do canal vaginal e o hímen pode ser rompido durante o processo", explica.

O especialista relata que o uso do coletor não traz irritação e nem odores. "A borracha usada é medicinal, o que reduz os riscos de contrair alergias ou infecções", menciona.

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver