logo Jornal Massa!

Nas Ruas

Sex, 29/12/2017 | Atualizado em: 29/12/2017 às 05h01

Botica Rede de terreiros abre loja no Pelô

Conteúdo Henrique Almeida*

Henrique Almeida*

redacao@jornalmassa.com.br

Os primeiros passos podem significar muito, principalmente, quando representam maior independência e valorização daquilo que se propõe. Esse foi o sentimento que pairou na inauguração da Botica da Rede de Hortos de Plantas Medicinais e Litúrgicas (Rhol) na manhã de ontem. Localizada na Rua João de Deus, no Pelourinho, o estabelecimento visa gerar renda, preservar a flora local e valorizar a identidade das religiões de matriz africana. Sendo, portanto, a primeira rede de comercialização direta entre os terreiros de candomblé, que engloba Salvador e Região Metropolitana. Pautada na ideia de economia solidária, a Rhol conta com a participação de 15 terreiros. O projeto foi uma das 54 iniciativas contempladas pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), por meio do edital de apoio aos empreendimentos solidários. Cada terreiro terá que pagar o valor fixo de R$ 50 mais 10% da receita das vendas mensais dos produtos de posse de cada templo.

São comercializados cerca de 40 espécies de plantas medicinais e litúrgicas, costuras, vestuários, doces, frutas, peças artesanais. Os produtos possuem preços a partir de R$ 5. A renda servirá para manutenção do empreendimento, além de fonte de renda para os terreiros.

"É uma forma sustentável e coletiva de fazer comércio, usando recursos naturais. A rede é aberta, outros terreiros podem participar", destaca a coordenadora Sueli Conceição.

*Sob a supervisão da editora Meire Oliveira